terça-feira, 9 de julho de 2013

Diário de bordô do Plaz



A caixa fudida 



Acordei feliz pela noite quente e divertida com Mandy e pela conta de luz mais barata, afinal ser desempregado é um estado de espirito e com os trocados mais soltos dava pra comprar um vinho pelo frio que congela da janela. Fui ao centro

O centro é um lugar fudido de estranho, todo mundo quer morar lá e depois que todo mundo está lá parece que todos se odeiam mutuamente. coisa estranha, a fila da caixa é enorme, meia volta
e fui atrás de outro caixa, fila big enorme, meia volta
voltei ao início.

O centro é o meu eixo e o final da fila, que atravessa a rua ao lado dos biscoitos e dos brinquedos, na minha frente uma corredora de pista. Durante a primeira hora a sensação que perpassa é o quanto podemos ficar em pé.

Nada de correr ou caminhar.
ficar de pé.
parado.
feito estátua, mas não daquelas que ganham dinheiro, no caso vamos perder dinheiro.
pagar as contas.
cortar gastos.

A fila da míseros passos no decorrer da aventura, a corredora partiu já e na minha frente um feliz casal pelos beijos e abraços. Quando consegui me aproximar do guichê descubro que o sistema tá fora do ar e embora as caixas sejam federais e blindadas os computadores são uma merda e precisamos ligar para reclamar.

Consumindo nossas energias
Consumindo nossos trocados
Consumindo
Consumir
em três, dois, um ...

Um sujeito baba espuma reclama fica puto da ataque quer policia vergonha cidadão tratado que nem lixo conserta essa porra pago minhas contas foda se quem quiser não saio da fila me tira daqui.

Neste instante comecei a sentir a perna doer não cura da mania de correr e como corredor sou uma merda.

O cara puto razão de trabalhador se foi e minha vez se aproxima, o casal discute quer jogar um bolão ou coisa do gênero, tem tantos jogos e pouco sistema que fico puto com a demora, mas buda me pisca ao longe e sorrio.

Pago a conta, não quero jogar nada, saio dali com a sorte de alguns trocados e rumo ao vinho.



Por que prefiro jogar com meus dados.



Plaz Mendes