quinta-feira, 15 de maio de 2014

Beat V



Burroughs




Eu não sou seu animal de estimação
Nem seu brinquedo de exportação
Não caminho por lindos lençóis
Nem uso sérios formóis
Minha droga social
Pobreza
Nossa
Sua
Não importa quem esteja com a faca
Arma pronta para matar
É sim,
A arma social
Pronta para humilhar,
Nossos filhos palhaços de sinais
Será um sinal de esperança,
Ganhar uma merda de salário
Ou
Receber uma merda de gorjeta
Ou
Morrer numa merda de sarjeta;
Como se calar diante do que não quer?
Como se divertir diante do sangue
Sangue de todos nós
Sangue de todos os animais
Que revestem suas caras roupas,
Fashion?´
A cola que cobre o peito dos miseráveis,
É a mesma que gruda seus lençóis cor penumbra.
Da cor da não-vida
Desperdício
Vicio
Tudo muito parecido
Todo mundo
Carecido
De amor
Eu não sou mais seu brinquedo de sexo
Nem seu animal
Não sou seu amigo.


Plaz Mendes