quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Peregrino




“Essas pessoas — assim como o resto de nós — devem estar conscientes
de que, enquanto durar a peregrinação, as condições de viagem
tenderão a permanecer muto semelhantes às atuais: caracterizadas
pela incurável fragilidade das posições sociais e fontes de
subsistência, pela sensibilidade irritadiça dos vínculos inter-humanos,
pela mutabilidade camaleônica dos valores ambicionados e dos assuntos
recomendados pela opinião pública como dignos de atenção e esforço.
Como se tudo em volta conspirasse para tornar difícil e desconcertante
a vida dos devotados peregrinos, e para puni-los por sua
obstinação e lealdade à decisão um dia tomada.”

Arte da Vida — Zygmunt Bauman

https://morguefile.com/search/morguefile/5/road/pop


Às vezes nos sentimos conectados ao mundo.
Um sentimento de verdade. 
nada de razão, 
mas sentimentos.
Fitando às arvores e as pessoas.
Passeando numa avenida,
quase iluminada!
Sublime experiência da vida;
que te sopra como um vento de mudança.
As coincidências. 
Os encaixes.
As risadas.
As vezes somos como peregrinos largados nesse campo de batalha.
Divididos entre a alegria do ser
e a tristeza do perecer.
Despojos famintos fantasmas pesadelos.
O estranhamento daquele olhar pela janela.




E ainda assim. “Às vezes” Caminhamos. Despertos por minutos em busca de nossa pérola.


Thiago Mendes