sábado, 31 de outubro de 2015

O indivíduo e as pessoas




Vexame.

Um enxame de pessoas sobre um corpo. 

Morto. 

Preto. 

Sangue.

Sua condenação foi ter nascido. 

E sobrevivido.

O filho da puta lutou.

Esbravejou.

Esbarrou numa série de dificuldade, mas não hesitou.

Não desistiu.

Insistiu demais.

Confundido.

No meio da avenida central.

Assalto?

Jaz no asfalto.

A polícia é chamada.

As pessoas se desfazem do peso de suas almas e seguem suas rotinas.

Ninguém é culpado.

Apenas o indivíduo.

De cútis duvidosa e pensamentos duvidosos.

Na dúvida –as pessoas reagem – condene-os.





Imagem retirada: daqui


Thiago mendes