terça-feira, 26 de agosto de 2014

BeatriXx



Breakfast on Pluto/ Internet



           O médico me interroga afirmando que tenho um Qi acima da média e dois pulmões inteiramente fudidos. Estou no topo da escada da Lapa pensando que não consigo ter sequer uma ideia para escrever.
_Você escreveu o que lhe pedi?
Respondo pra editora gostosa/amiga que há um bloqueio mental e capilar, meus cabelos não crescem mais. Sim, eles embranquecem cada dia mais.
Vejo alguns jovens, poucos travestis andando no meio da rua cheia de fumaça. A mesma que sai das minhas narinas. O mesmo nariz que ela tanto gostava...
_Reno, meu Jean Reno brazuca...
Minha péssima memória nunca consegue lembrar os remédios recomendados, nem o tema do conto, nem a senha do cartão... Preciso de cigarros...
Toda minha vida destruída por causa daquela piranha de nome sugestivo, Beatrix... Aquela que mastigou meu coração e deixou como o doutor disse.
_Largue o cigarro ou mais um ano.
Como se quisesse passar mais uma hora entre esses moleques da Lapa pseudointitulados boêmios.
Beatrix ainda anda junto dos excluídos, eu me incluo neles por mais alguns maços.
_ Você precisa ver um especialista e esquecer essa porra...
Minha amiga quer me dar conselhos onde quero sexo.
_ Já a larguei mais o conto nem comecei.
O médico fala de um coração fraco. Senhor ele foi roubado...
Um menino esbarra na minha perna...
Dilacerado...
Sexo, drogas, que você quer velhote??
Jogado fora...
Nada quero de você mais, Beatrix.
Beatrix me levou direto para o inferno, onde.
Ponto.
Preciso ver o médico...

Preciso ver minha editora.


Thiago Mendes