sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A jornada #2




     Eis que um dia está apaixonado e puxa com toda força, mas a coisa ou ser quer respirar também, contudo ele não percebe isso. Aperta cada vez mais.

Um choro ao longe para os mochileiros, um menino chora abraçado ao seu cachorrinho falecido.

O mochileiro líder chega próximo e o reconforta:

Uma vez meu pai me disse pra termos cuidado com aquilo que tocamos, para não sermos tocados pelo toque da morte.

Mas que toque é este?

Apaixonados por tudo que tocamos perdemos o rumo da vida; Veja não existe problema nenhum em se apaixonar ou se apegar por algo, porem quando estamos cegos por esse toque, tudo se torna nosso, tanto coisa como ser.

Prende-o para não fugir
Personifica-o para fingir

Que aquilo é nosso, mas não é

E um dia vem o desgosto com gosto amargo na boca você não quer mais.
Obsolescência
Obsessão
Violência interna

Não somos aquilo que temos
Não podemos ter alguém para ser aquilo que queremos.

Precisamos deixar tudo ir ao seu tempo.

E então eles enterraram o cãozinho e seguiram viagem para a montanha sagrada.








Créditos do vídeo/legenda: Guilherme Salgado


Vogelfrei...